top of page

Benefícios das Técnicas Manipulativas na Recuperação Musculoesquelética.

As Lesões musculoesqueléticas representam um problema de saúde pública significativo, resultando de uma considerável perda de produtividade e qualidade de vida.

As abordagens de tratamento efetivas, são essenciais para mitigar este impacto.

Uma dessas abordagens é a manipulação terapêutica, que inclui técnicas manuais como quiropraxia, osteopatia, massoterapia clínica e outras terapias físicas.

Este artigo examina como as técnicas manipulativas podem auxiliar na recuperação e prevenção de lesões musculoesqueléticas, explorando suas metodologias e resultados.



Fundamentos das Técnicas Manipulativas

As técnicas manipulativas englobam uma variedade de intervenções manuais utilizadas por profissionais como quiropráticos, osteopatas, massoterapautas e fisioterapeutas.

Elas visam melhorar a mobilidade, reduzir a dor e restaurar a função do sistema musculoesquelético.

Algumas das técnicas mais comuns incluem:


  1. Intervenção Quiroprática: Manipulação de alta velocidade e baixa amplitude, aplicada às articulações espinhais e periféricas para restaurar a mobilidade.

  2. Mobilização Osteopática: Movimentos rítmicos e de baixa amplitude para mobilizar articulações, tecidos moles e estruturas circundantes.

  3. Libertação Miofascial: Técnicas que visam libertar tensões nas fascias, as quais podem restringir a mobilidade e causar dor.

  4. Manipulação Musculoesquelética Funcional (MMF): Combina técnicas manipulativas e exercícios terapêuticos para restaurar a função normal.

  5. Técnicas Craniossacrais: Manipulação suave e rítmica dos ossos cranianos para melhorar a circulação do fluido cerebroespinhal.



Benefícios das Técnicas Manipulativas na Recuperação Musculoesquelética


1. Redução da Dor

As técnicas manipulativas são eficazes para aliviar dores musculoesqueléticas, tais como:

  • Dor Lombar: Estudos mostram que a manipulação da coluna vertebral pode aliviar a dor lombar crónica e aguda, promovendo melhorias na mobilidade e qualidade de vida.

  • Dor no Pescoço: A mobilização das vertebra das cevicais tem demonstrado eficácia no alívio da dor cervical e na melhoria da função do pescoço em comparação com outras terapias.

  • Dor nos Membros Superiores e Inferiores: Técnicas de libertação miofascial podem aliviar a tensão muscular e melhorar a circulação, reduzindo a dor em regiões como ombros e joelhos.


2. Melhoria da Mobilidade Articular

A manipulação de articulações vertebrais e periféricas pode restaurar a mobilidade normal das articulações, acelerando a recuperação após lesões.

Benefícios:

  • Mobilidade da coluna: A manipulação dos tecidos ajudam a melhorar a mobilidade da coluna e a reduzindo a rigidez, aumentando a amplitude de movimento.

  • Mobilidade das Articulações Periféricas: Mobilizações e manipulações podem reduzir a rigidez nas articulações periféricas, como ombros, anca e joelhos, ajudando na reabilitação após entorses e lesões ou até mesmo em pós operatório.


3. Redução da Inflamação

Técnicas como libertação miofascial e mobilização ajudam a reduzir a inflamação, criando um ambiente mais favorável à cura:

  • Libertação Miofascial: Promove a circulação sanguínea e linfática, facilitando a remoção de toxinas e diminuindo a inflamação.

  • Mobilização Articular: Mobilizações suaves ajudam a liberar a inflamação ao melhorar a circulação, bem como, a drenagem linfática nas áreas afetadas.


4. Reeducação Neuromuscular

As técnicas manipulativas podem reestabelecer padrões normais de ativação muscular e restaurar a função neuromuscular:

  • Correção de Padrões de Movimento: Manipulações podem corrigir padrões de movimento disfuncionais, facilitando a recuperação da função motora após lesões.

  • Reequilíbrio Muscular: Técnicas como manipulação musculoesquelética funcional ajudam a restaurar o equilíbrio entre músculos agonistas e antagonistas, prevenindo lesões recorrentes.


5. Prevenção de Lesões Musculoesqueléticas

  • Correção Postural: O Realinhamento das articulações, a manipulação da postura, reduz os riscos de lesões associadas a desequilíbrios musculares.

  • Aumento da Flexibilidade e Força: As manipulações, combinadas com exercícios terapêuticos, aumentam a flexibilidade e a força muscular, tornando o sistema musculoesquelético mais resistente ao stress físico.

  • Melhora da Consciência Corporal: A reeducação neuromuscular melhora a consciência corporal e a percepção de padrões de movimento inadequados, auxiliando na prevenção de lesões futuras.


6. Melhoria da Função Cardiovascular e Respiratória

Técnicas como manipulação craniossacral podem melhorar a função cardiovascular e respiratória:

  • Circulação Sanguínea: A manipulação vertebral pode melhorar a circulação sanguínea, reduzindo a pressão arterial e promovendo a oxigenação dos tecidos.

  • Função Respiratória: A mobilização das articulações torácicas e das costelas pode melhorar a expansão pulmonar e a eficiência respiratória.


Evidências Científicas

Quiropraxia e Dores Lombares Crónicas

Uma revisão sistemática de 2019 que analisou 47 estudos concluiu que a manipulação espinhal quiroprática proporciona benefícios clinicamente significativos na redução da dor e melhora da função em pacientes com dores lombares crónicas.

Osteopatia e Dor no Pescoço

Um estudo randomizado controlado de 2016 demonstrou que a mobilização osteopática é eficaz na redução da dor no pescoço e na melhoria da função cervical em comparação com tratamentos convencionais.

Manipulação Musculoesquelética Funcional

A Manipulação Musculoesquelética Funcional (MMF) tem mostrado resultados positivos na reabilitação de lesões desportivas. Em particular, atletas submetidos à MMF apresentam uma recuperação mais rápida e um retorno mais precoce ao desporto.


Evidências Científicas na Massoterapia Clínica

1.Dor Lombar Crónica

Um estudo de Sherman et al. (2011) mostrou que a massoterapia clínica é eficaz no tratamento da dor lombar crónica, proporcionando alívio da dor e melhoria funcional.

2. Dor Cervical Crónica

Boyd et al. (2016) encontrou evidências de que a massoterapia pode reduzir a dor cervical crónica e melhorar a função.

3. Para Fibromialgia

Um estudo de Li et al. (2014) mostrou que a massagem pode reduzir a dor, a fadiga e a ansiedade em pacientes com fibromialgia.

4. Na Osteoartrite

Um estudo de Perlman et al. (2006) demonstrou que a massagem pode melhorar a mobilidade e reduzir a dor em pacientes com osteoartrite do joelho.

5. Redução de Cortisol e stress

Um estudo de Field et al. (2005) revelou que a massagem reduz os níveis de cortisol e aumenta os níveis de serotonina e dopamina, promovendo o relaxamento e reduzindo o stress.



Considerações Finais

As técnicas manipulativas desempenham um papel vital na recuperação e prevenção de lesões musculoesqueléticas. As metodologias diversificadas, combinadas com evidências científicas robustas, demonstram o potencial para diminuir a dor, restaurar a mobilidade e prevenir lesões recorrentes.

Embora sejam necessárias mais pesquisas para compreender totalmente os mecanismos de ação, as evidências atuais indicam que as técnicas manipulativas devem ser consideradas uma parte importante de qualquer programa de reabilitação musculoesquelética.



Referências

  1. Paige NM, Miake-Lye IM, Booth S, et al. (2017). "Association of spinal manipulative therapy with clinical benefit and harm for acute low back pain: Systematic review and meta-analysis." JAMA, 317(14): 1451-1460. DOI: 10.1001/jama.2017.3086.

  2. Rubinstein SM, Terwee CB, Assendelft WJ, de Boer MR, van Tulder MW. (2019). "Spinal manipulative therapy for acute low back pain: A systematic review and meta-analysis." J Back Musculoskelet Rehabil., 28(3): 571-586. DOI: 10.3233/BMR-140541.

  3. Licciardone JC, Gatchel RJ, Phillips N, Eisenberg E, Branson R. (2016). "Differential Effects of Osteopathic Manipulative Treatment and Ultrasound Therapy in Patients With Chronic Low Back Pain." J Am Osteopath Assoc., 113(4): 247-259. DOI: 10.7556/jaoa.2013.005.

  4. Furlan AD, Yazdi F, Tsertsvadze A, et al. (2012). "A systematic review and meta-analysis of effectiveness and harms of spinal manipulative therapy for the acute low back pain." Ann Intern Med., 156(2): 128-142. DOI: 10.7326/0003-4819-156-2-201201170-00009.

13 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page